sexta-feira, 9 de agosto de 2013

LEIA "EM OBRAS", DE DELAYNE BRASIL



                                                          Delayne Brasil


NO OUTONO, GANHEI GIRASSÓIS

Do sangue de Van Gogh
escorrem pontilhados,
pinceladas, espirais;
disparam girassóis
Ontem choveu frio
Hoje, dois presentes:
o céu de outono no Rio
e você num ramalhete

    No final do poema, temos um presente duplo: uma estação (vista como a mais bonita da
cidade) e uma pessoa. Esta associação inusitada causa um impacto, reforçado pela metonímia
da palavra ramalhete.
    Faça um poema em que o final seja  também metonímico.    


Um comentário:

  1. Grata, Marcus, por mais este presente. Um abraço fraterno.
    Delayne

    ResponderExcluir